Prefeitura assumirá serviços da AACD a partir de março - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad




PUBLICIDADE

Prefeitura assumirá serviços da AACD a partir de março


NOVA IGUAÇU - Os pacientes assistidos pela Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) de Nova Iguaçu, entidade privada sem fins lucrativos que trata crianças e adultos com deficiência física, estão com a continuidade em seus tratamentos garantida. É que o prefeito Rogerio Lisboa anunciou ontem que o município assumirá a oferta dos serviços após o desligamento definitivo da entidade, em março.

O prefeito esteve no prédio da instituição, no bairro Jardim da Viga, para participar de uma reunião que contou com representantes da associação, com membros da Procuradoria-Geral do Município (PGM) e com o juiz da 2ª Vara Cívil da cidade, Wilson Kozlowski, que acompanha todo o processo, para discutir o futuro da unidade.

Lisboa explicou que a decisão da AACD é definitiva e que, para não deixar os pacientes desassistidos, a prefeitura assumirá o serviço, mantendo, inclusive as atividades no mesmo prédio. A entidade é a única em todo o Estado do Rio de Janeiro. Ela atende cerca de 300 crianças e adultos por mês, de várias localidades.

“Viemos pedir a permanência da AACD. Como não será possível, vamos assumir os serviços, garantindo o atendimento aos pacientes com qualidade. Assumiremos de forma direta via prefeitura ou vamos contratar uma instituição terceirizada com o mesmo perfil da associação. Seria um chamamento público. As empresas que se interessarem e nos trouxerem a melhor proposta estarão concorrendo, via licitação. E aí o município contrata”, explica o prefeito.

Durante a reunião, ficou acordado que, no período da transição, a AACD vai apresentar, via processo, inventário de bens para a prefeitura poder avaliar o investimento necessário que terá que fazer na unidade. “O momento de transição será para acertar as coisas que estão pendentes, mas isso não vai atrapalhar o tratamento dos pacientes. Temos profissionais da Saúde suficientes para dar continuidade ao tratamento médico. O que vamos precisar agora é contratar pessoal de limpeza e de segurança, por exemplo”, informa Lisboa.

Presidente da Comissão das Mães da AACD, Gil Alves, mãe da pequena Maria Shopia, de 4 anos, que tem hidrocefalia e má formação congênita na coluna, conta que quando soube do desligamento da entidade se sentiu abandonada. “Não só eu, mas todos os pacientes: crianças, adolescentes e adultos, que precisam do tratamento para terem uma vida digna. Vamos lutar até o fim para garantir a dignidade deles. Graças aos tratamentos, minha filha, que não falava, fala hoje pelos cotovelos”, revela Gil. “Não estaremos aqui para sempre. Nossos filhos terão que aprender a caminhar sozinhos, puxando suas próprias cadeiras de rodas. Acredito na boa vontade do prefeito. Vamos acreditar que tudo vai dar certo”, completa.

>>Sem dívidas – A Prefeitura de Nova Iguaçu está em dia com os repasses, cujo valor fixo mensal é R$ 91.719,11, além de outra parte variável que é calculado conforme o atendimento realizado por mês.

Há ainda um processo tramitando na 2ª Vara Cívil referente aos repasses de 2016. A justiça quer saber se, de fato, a AACD destinou a verba para a compra de cadeiras de rodas e material ortopédico (próteses e órteses), que seriam entregues às crianças assistidas pela instituição. Esses processos estão sendo verificados e somente após a decisão da justiça é que o município poderá realizar o pagamento.

Foto: Ivan Teixeira
07/02/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 984040-254

Post Bottom Ad

Pages