Belford Roxo registra 180 casos de violência doméstica em dois meses - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad




Post Top Ad

Belford Roxo registra 180 casos de violência doméstica em dois meses


Em dois meses, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher de Belford Roxo (Ceambel), no bairro Santa Amélia, registrou 180 casos de violência doméstica. Os bairros como maiores incidências são: Jardim Redentor e Santa Tereza. O órgão atende, encaminha e orienta as vítimas sobre as necessidades de ações que garantam a segurança das vítimas de violência. Durante a semana de comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Ceambel promoveu uma palestra com o título “Simplesmente Mulher”.

A advogada e coordenadora do Ceambel, Cláudia Cecília, explicou que em 2017 foram feitos 210 atendimentos de violência contra a mulher. Este ano, só de janeiro a fevereiro foram 180. “Fizemos uma parceria com o Ministério Público (MP) de Belford Roxo e de Nova Iguaçu e isso possibilitar aumentar o número de registro. Esses 180 casos incluem estupro, ameaça e lesão corporal. Aos poucos, as mulheres estão perdendo o medo e denunciando agressões no MP, Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) e no Ceambel”, concluiu Cláudia, destacando que o Centro conta duas assistentes sociais, uma psicóloga, uma estagiária de psicologia, uma estagiária de assistência social, uma psicopedagoga e duas advogadas.

Quando chega no Ceambel, a mulher passa pelo setor de triagem. Em seguida é encaminhada para entrevista com uma assistente social. Dependendo do problema, ela será atendida por uma advogada ou psicóloga. “Setenta porcento dos casos são de violência doméstica. Trinta porcento são de outros problemas, como pensão alimentícia e Bolsa Família, por exemplo”, resumiu a coordenadora.

Assistente social do Ceambel, Solange Soares que a violência doméstica é um círculo. Ou seja, muitas mulheres dão queixa dos companheiros, mas acabam voltando ara o lar e sofrem agressões. “São vários tipos de violência: física, moral, psicológica e sexual. Muitas mulheres perdem até o direito de criar os filhos”, arrematou. “Nossa preocupação é conseguir medidas protetivas e garantir que essas mulheres não voltem ao círculo da violência”, completou a advogada Rosany Cruz Resende.

Relatos de agressão

A dona de casa M. foi casada 17 anos com um homem. Depois de algum tempo, segundo ela, ele começou a traí-la, indo morar com outra mulher. Com dois filhos, M. conta que até hoje é perseguida pela atual mulher do ex-marido. “Separei há dois anos e três meses e em dezembro consegui uma medida protetiva, que determina que ele fique a 500 metros de distância de mim. “Tive que mudar meus filhos e escola porque a perseguição estava me sufocando”, revelou M., destacando o apoio que recebeu no Ceambel.

O Ceambel funciona na Avenida Joaquim da Costa Lima, 2.490, Santa Amélia, das 8h às 17h. Informações podem ser obtidas pelos telefones 2761-5845, 2761-6604 e 2761-6700 (Disque-Mulher). 

12/03/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe jornaldestaquebaixada@gmail.com

Post Bottom Ad

Pages