Operação Reboque retira veículos abandonados das ruas de Belford Roxo - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad




PUBLICIDADE

25/07/2018

Operação Reboque retira veículos abandonados das ruas de Belford Roxo


Belford Roxo está com tolerância zero para a permanência de carros abandonados pelas vias do município. Nesta quarta-feira (25), o secretário de Defesa Civil e Ordem Urbana, Eduardo Dias, esteve junto com a sua equipe rebocando e notificando veículos velhos e abandonados nas vias públicas. A ação, que contou com a participação de fiscais do Departamento de Postura da Prefeitura, agentes da Defesa Civil e da Guarda Municipal, aconteceu na Avenida Joaquim da Costa Lima, do bairro Lote XV ao Centro. Os carros rebocados foram levados para o depósito municipal, localizado na Avenida Atlântica, no bairro Recantus.

A Operação Reboque está em vigor desde março deste ano. A partir de denúncias de moradores, os veículos são fotografados e recebem um adesivo, notificando o proprietário para retirá-lo num prazo de 24 horas. “Há dois dias, notificamos mais de 15 veículos, e hoje quando voltamos, vários já haviam sido retirados pelos proprietários. Esta é a prova da eficiência desta operação”, informou Eduardo. A ação já retirou veículos das ruas de bairros como Nova Aurora, Xavantes, Heliópolis e Parque Amorim.


Depois de quatro meses abandonado em frente a uma oficina, no bairro Parque Esperança, o veículo velho finalmente foi removido pela Operação Reboque. E quem comemorou foi o Luan de Lemos, 20 anos, que trabalha no estabelecimento. “Essa ação é muito boa para a gente, pois acaba com essa imagem feia que o carro passava de serviço mal prestado a algum cliente nosso. Graças a Deus que vocês vieram”, finalizou.

Desobstrução de calçadas

A equipe de fiscais percorreu também o bairro Santa Maria notificando comércios que ocupavam as calçadas das vias e atrapalhavam o andamento de obras. O bairro está recebendo obras de drenagem, colocação de meio fio, calçadas e novo asfalto. “Além destas calçadas atrapalharem as obras, o passeio público também é prejudicado. É preciso que haja mobilidade para as pessoas transitarem e exercerem o direito de ir e vir”, concluiu Eduardo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 984040-254

Post Bottom Ad

Pages