Rompimento de tubulação destrói casas em Nova Iguaçu - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad

PUBLICIDADE

16/08/2018

Rompimento de tubulação destrói casas em Nova Iguaçu

Foto: Ivan Teixeira/Jornal de Hoje

“Parecia um dilúvio”, disse a garçonete Andressa Oinhos, de 29 anos, moradora do bairro São Francisco, região do KM 32, em Nova Iguaçu. Ela teve a casa destruída pela água que jorrava do rompimento de tubulação da CEDAE, na madrugada dessa de ontem, cuja rede passa próximo da casa. O relógio marcava 01h30min, quando o incidente aconteceu. Andressa dormia com o esposo e dois filhos de sete e oito anos. O barulho ensurdecedor fez com que todos levantassem em pânico. Em poucos segundos, a água invadia a casa, surgindo de todos os lados.

Ainda sem entender o que acontecia, a família buscava, inutilmente, abrigo em alguma parte da casa, ainda não sabendo que toda a estrutura já estava comprometida. Se escorando em paredes que começavam a se curvar, eles saíram da casa, que veio abaixo, segundos antes da saída da família. Preservadas as vidas, todo o resto foi perdido: roupas, móveis e eletrodomésticos foram destruídos. “Só deu tempo de sair de casa e, graças a Deus, estamos vivos. Foi um sufoco”, disse ainda assustada à reportagem, quase 12 horas após o acidente.

Outra vítima da violenta pressão da água foi Arlindo Sandro do Nascimento, 42 anos, que também teve como despertador o estrondoso som da correnteza gigante. “Escutei um barulho muito forte e vi a água subindo. Saí com todo mundo de casa e vi tudo sendo destruído. Minha preocupação foi controlada pela certeza de que todos os meus estavam bem. O resto é recuperável”, consola-se.

Nas ruas, pertences das vítimas estavam expostos, como também escombros das duas casas mais afetadas. Um dos imóveis desapareceu nas águas, enquanto o outro ainda ficou com parte das paredes de pé. As outras foram destruídas. A Defesa Civil de Nova Iguaçu interditou o local. Como o comprometimento foi grave nas estruturas, este imóvel está inabitável e será totalmente demolido. Funcionários da empresa negociam compensações com os proprietários das casas.

Em nota à imprensa, a CEDAE afirmou que está dando assistência às vítimas, mas não forneceu detalhes a respeito das causas do incidente.

Via: Jornal de hoje
16/08/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

Post Bottom Ad

Pages