Produtos da Perdigão terão que ser recolhidos por risco de presença da bactéria Salmonella - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

13/02/2019

Produtos da Perdigão terão que ser recolhidos por risco de presença da bactéria Salmonella


Segundo comunicado divulgado nesta quarta-feira (13) pela BRF, dona da marca Perdigão, cerca de 164 toneladas de carne de frango in natura (Cortes Congelados de Frango - Coxas e Sobrecoxas sem osso; Cortes Congelados de Frango - Meio peito sem osso e sem pele; Cortes Congelados de Frango - Filezinho (Sassami); Miúdos Congelados de Frango - Coração; Cortes Congelados de Frango - Filé de peito), serão recolhidos devido ao risco de contaminação por salmonella. Ainda segundo a empresa, cerca de 299 toneladas do mesmo produto destinado ao mercado internacional também foram recolhidos pelo mesmo motivo.



Ainda segundo a empresa, os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.


QUAL O RISCO PARA O CONSUMIDOR?

A empresa informou que: "Caso os alimentos não sejam completamente fritos, cozidos ou assados e manuseados conforme instruções de uso nas embalagens, a Salmonella enteritidis representa risco à saúde, podendo causar infecção gastrointestinal, cujos sintomas mais comuns são: dores abdominais, diarreia, febre e vômito".



E também que: "Esse microrganismo não sobrevive ao processo de cozimento, o que é a regra no consumo desses alimentos, conforme descrito nas embalagens dos produtos".


Caso você identifique um produto com as características acima, entre em contato pelo telefone 0800-0311315 ou pelo endereço de e-mail recolhimento.sac@brf-br.com.

Segundo a empresa, as carnes recolhidas saíram da unidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e que "destacou um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrência".

Os produtos com risco de contaminação saíram da fábrica de Dourados, no Mato Grosso do Sul, entre 30 outubro e 12 de novembro de 2018. Por isso, confira a data de validade do produto que tiver em casa. Segundo a empresa, os consumidores devem conferir e se atentar as seguintes informações: "Nome, peso, marca, data de fabricação e origem dos produtos na embalagem".

TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

Por Redação Jornal Destaque Baixada
13/02/2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

Post Bottom Ad

Pages