Policlínica comemora Outubro Rosa e oferece serviço de marcação de mamografia, em Belford Roxo - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

sexta-feira, outubro 22, 2021

Policlínica comemora Outubro Rosa e oferece serviço de marcação de mamografia, em Belford Roxo

Foto: Rafael Barreto/PMBR

O trabalho de conscientização sobre o Outubro Rosa continua nas unidades de saúde de Belford Roxo. Nesta quinta-feira (21-10) foi a vez da Policlínica Neuza Goulart Brizola passar conhecimento através de palestras com diversos profissionais, cartilhas informativas e dinâmicas para as pacientes. Além disso, a unidade realiza marcação de mamografia e dispõe de ginecologista que faz o preventivo com as marcações nas segundas e terças-feiras, a partir das 13h. Os documentos necessários são identidade, comprovante de residência e cartão do SUS. Eventos parecidos com este já aconteceram na UBS Santa Marta, USF Antônio Francisco Ribeiro e USF Maria Anésia.

A administradora da Policlínica Neuza Brizola, Verônica Brito, ressaltou que a conscientização e prevenção deve ser realizada o ano todo. “Precisamos realizar os exames periodicamente para diagnóstico precoce. Aqui na unidade já fazemos a marcação de mamografia, mas ela se intensifica nessa época. A ginecologista da unidade trabalha às segundas e quartas-feiras”, informou Verônica, ao lado das enfermeiras Rosinete Dormund, que conduziu o evento, e de Bianca Martins, que ensinou o autoconhecimento (antigo autoexame).

Taxa de incidência grande

Para falar sobre a parte médica, o estudante do último período de medicina Filipe Herculano chamou a atenção das taxas do câncer de mama. “O primeiro objetivo é diminuir a taxa de mortalidade do câncer de mama que tem uma taxa de incidência muito grande. Ele é devastador no ambiente familiar por se desenvolver na maioria das vezes nas mulheres. Partindo disso temos que zelar pela vida. Existem métodos de tratamento dentro do tipo de câncer, sejam conservadores que preservamos o tecido da mama ou agressivos com a quimioterapia e radioterapia, por exemplo. Na rede pública nós temos medicamentos para o auxílio dos sintomas da doença”, explicou Filipe.

Pegando um gancho na parte de tratamento, a estudante de direito Maria Clara da Silva, ressaltou que esses pacientes têm direitos. “Muitos passam por tratamentos sem saber que tem direito e sem assistência ficando à mercê do básico. A nossa constituição tem leis voltadas a esses casos”, resumiu Maria Clara.




A assistente social Sônia Santana, 58 anos, teve câncer nas duas mamas. Durante o evento, ela deu o seu depoimento. “Vivenciei duas vezes e graças a Deus eu fiz a detecção precoce. As pessoas costumam falar em prevenção, o que não existe. O que nos salva na verdade é o diagnóstico precoce quando fazemos os exames e levamos ao médico. A primeira vez que detectei eu tinha 42 anos, e foi através do exame que constatei os nódulos. Depois de um ano eu retirei a mama. Passados 13 anos, em 2019, descobri outro módulo na outra mama. Já tinha feito a reconstrução da primeira e fazia todos os anos a mamografia. Comecei novamente o tratamento e retirei a outra mama”, contou Sônia.




“Isso é de muita importância para as mulheres se conscientizarem de que devemos nos cuidar. Aproveitarem também a oportunidade do outubro rosa e atualizar os exames que são importantes para a prevenção. Faço tratamento e me consulto com a equipe da unidade há três anos, além de utilizar outras unidades do município”, acrescentou Nivea Machado, 49, do lar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675


Pages