Passagem cara, ônibus sem ar e ruas escuras em Nova Iguaçu - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

03/04/2018

Passagem cara, ônibus sem ar e ruas escuras em Nova Iguaçu

Foto: Davi de Castro

NOVA IGUAÇU - A falta de iluminação pública e a precariedade de ônibus nos bairros de Ponto Chic, Cobrex e Três Corações, em Nova Iguaçu, estão deixando moradores revoltados. Apesar do alto custo da taxa de luz e do aumento do preço da tarifa dos coletivos municipais concedido pela prefeitura da cidade, a situação está cada vez pior.

O drama de quem é usuário de linhas de ônibus com destino a um desses bairros começa no Alto da Posse, com a buraqueira e a falta de iluminação pública. O quadro piora nas ruas Ferreira Pinto (Ponto Chic), segue pela Estrada João Carvalho de Moraes (ou Estrada Velha de Santa Rita, no Cobrex) até a Estrada de Adrianópolis.

O sofrimento de quem mora na região de Ponto Chic, Cobrex e Três Corações começa com a precariedade da iluminação pública, segundo a moradora Maria Pimenta de Oliveira, 54 anos. Ela diz que “de Chique, seu bairro não tem nada”, e justifica os motivos. “Aqui a gente vive na escuridão. É perigoso andar à noite nas ruas. No poste que tem lâmpada, a luz é fraca e não clareia nada. E em outros, quando existe luz, está queimada”, reclama a moradora, que diz pagar mais de R$ 23,00 de taxa de iluminação pública. “E para piorar, os ônibus demoram uma eternidade pra passar aqui pela Ferreira Pinto. E a prefeitura ainda aumenta o preço da passagem para R$ 4,00?”, questiona revoltada a moradora.

Ônibus caros e sem ar

A situação não é muito diferente para quem mora no corredor da Estrada João Carvalho de Moraes, ou Estrada Velha de Santa Rita. “A rua é toda escura e cheia de buracos. O ônibus passa por aqui de caju em caju (o que significa ‘de vez em quando’, na gíria baiana)”, reclama Adalgisa Moreira Dias, 49 anos, moradora de Três Corações. Ainda segundo ela, o ônibus que passa pela Estrada de Santa Rita, faz ponto na rua Santa Rita, em Três Corações. Mas isso é só no papel: às vezes ele não para. Chega e sai. Ou então demora uma eternidade para sair. quer dizer, não há hora certa”, esculacha a moradora, dizendo que ainda “os ônibus não tem ar condicionado e ainda temos de pagar mais caro por essa bagunça”.

>>Do povo só querem o voto – Já os coletivos que passam pela rua Ferreira Pinto, no Ponto Chic, e atravessa o Cobrex, com destino ao bairro de Santa Rita, encontra uma maratona de buracos e poeira, segundo moradores do referido corredor. “Depois de meia noite, quem mora nesse trecho, fica á pé, pois os ônibus deixam de circular. Aliás, as vans e combis são proibidas de embarcar e desembarcar passageiros aqui”, diz a dona Edith Vargas Barbosa, 60 anos. “Eles só lembram da gente aqui, no ano das eleições. De nós só querem o voto. Já está perto do seu Rogério (Lisboa, prefeito da cidade) passar por aqui pedindo o nosso voto”, debocha a moradora.

Reportagem; Davi de Castro
via: Jornal de hoje
03/03/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

Post Bottom Ad

Pages