Policiais civis acusados de extorsão em Nova Iguaçu são alvos de operação - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad

PUBLICIDADE

28/02/2019

Policiais civis acusados de extorsão em Nova Iguaçu são alvos de operação


O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) e da 1ª Promotoria de Investigação Penal da 3ª Central de Inquéritos, com apoio da Corregedoria Interna da Polícia Civil (COINPOL) realiza, nesta quinta-feira (28/02), operação que corresponde a desdobramento da Quarto Elemento, inicialmente deflagrada em setembro de 2017. Nesta terceira fase, serão cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva contra Ricardo da Costa Canavarro (vulgo ‘Ricardinho’), Helio Ferreira Machado, Thiago Bacelo Pereira e Flavio Pacca Castello Branco, todos policiais civis e denunciados pela prática do crime de extorsão.



Relata o MPRJ que, no dia 5 de julho de 2017, no interior da 52ª DP (Nova Iguaçu), os quatro denunciados extorquiram, mediante grave ameaça, duas vítimas e delas exigiram o pagamento de R$ 10 mil. As vítimas, no dia dos fatos, haviam sido surpreendidas pelos policiais em situação flagrancial dos crimes de receptação e furto de energia. No lugar das devidas medidas legais, os referidos policiais mantiveram as duas vítimas no interior da delegacia por cerca de uma hora, sofrendo pressões psicológicas, sem que qualquer formalização da presença das mesmas na distrital fosse adotada.

Diante do cenário montado, as vítimas se submeteram ao exigido, isto é, concordaram com o pagamento de R$ 10 mil em duas parcelas iguais, tendo cumprido apenas o primeiro acerto de contas. Cumpre ressaltar que o policial Ricardo da Costa Canavarro (vulgo ‘Ricardinho’), que participou de toda a ação criminosa, estava de licença médica na época dos fatos e jamais fora lotado na 52ª DP.



Somadas, as duas fases iniciais da Operação Quarto Elemento denunciaram 48 indivíduos, entre delegados de Polícia Civil, policiais civis, policiais militares, bombeiros militares, agente penitenciário e informantes, pela prática de crimes como organização criminosa, corrupção, usurpação de função pública, concussão e peculato, além de extorsão. Mais de quatro dezenas dos denunciados tiveram suas prisões preventivas decretadas, quando do oferecimento das respectivas denúncias. Relembre as matérias anteriores com detalhes sobre a 1ª Fase e a 2ª Etapa da Operação Quarto Elemento.

TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

28/02/2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

Post Bottom Ad

Pages