Nova Iguaçu terá primeiro polo de combate à intolerância religiosa do Brasil - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

22/01/2020

Nova Iguaçu terá primeiro polo de combate à intolerância religiosa do Brasil


A luta contra a intolerância religiosa ganha mais um reforço na Baixada Fluminense. O prefeito de Nova Iguaçu, Rogerio Lisboa, assinou, nesta quarta-feira (22), um convênio com o Governo do Estado, criando o primeiro Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa do país. Cedido pela Prefeitura, o espaço vai acolher vítimas de qualquer tipo de preconceito religioso, com atendimento psicológico, assistencial e orientações jurídicas. A assinatura aconteceu na sede da Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL), em Nova Iguaçu, e contou com a presença da secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fernanda Titonel, e a secretária municipal de Assistência Social, Elaine Medeiros. 

O Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa é um projeto do Governo do Estado em parceria com as prefeituras e também será implementado em outros municípios. O primeiro núcleo será na Baixada Fluminense por ser a região com grande número de casos registrados de intolerância com violação de templos de matriz africana, com 15 ocorrências no ano passado. Em todo Estado foram 132 casos. A previsão é de que o Núcleo comece a funcionar no próximo mês. 

“A atuação do poder público tem que ser ativa contra qualquer tipo de preconceito, especialmente o religioso. Nova Iguaçu abraça essa luta. Nas escolas criamos o projeto ‘Minha Escola Contra o Racismo – Menos Intolerância, mais respeito à diversidade’, onde são feitas ações lúdicas de conscientização com os alunos. O Núcleo é um projeto muito importante, que aumentará ainda mais a rede de proteção e o acolhimento digno às vítimas”, afirmou o prefeito Rogerio Lisboa. 

De início, o Núcleo funcionará no segundo andar do Cras Maxambomba, na Travessa Teresinha Pinto 297, no Centro. A ideia é que, mais adiante, ele seja transferido para o prédio onde funcionava o antigo Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM), no bairro da Luz. O prédio pertence ao Estado e, com a parceira, a Prefeitura cuidaria de sua reforma.

“Queremos fazer daquele espaço uma rede de proteção da Assistência Social, criando um complexo de apoio aos direitos humanos, onde, além de atender as vítimas de intolerância religiosa, também auxiliará às de violência contra as mulheres, crianças, homofobia, entre outros. Será um grande ganho para nossa região”, ressaltou o prefeito. 

A secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos destacou a importância da ampliação das políticas públicas neste tema.

“O combate à intolerância deve ser praticado todos os dias, por todas as pessoas, para uma sociedade justa e de paz. Nosso pacto é com o estado, pela defesa e segurança de todas e todos. Assim, esperamos ajudar a garantir o direito à fé sem discriminação”, afirmou Fernanda Titonel. 

Também estiveram presentes à assinatura do convênio os subsecretários estaduais de Promoção, Defesa e Garantia de Direitos Humanos, Thiago Miranda, e de Articulação Política e Acompanhamento dos Municípios, Raquel Borges, e o coordenador de Promoção da Liberdade Religiosa, Marcio Righetti (Pai Márcio de Jagun).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

cel

Post Bottom Ad

Pages