Magé prepara 1ª etapa da vacinação contra a febre aftosa - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

1.29.2021

Magé prepara 1ª etapa da vacinação contra a febre aftosa


A Secretaria Municipal de Agricultura já está prepara a vacinação obrigatória de bovinos e bubalinos (búfalos) contra a febre aftosa na 1ª etapa da campanha, que acontece em maio em todo o Estado do Rio de Janeiro. O município quer bater a meta de vacinar, no mínimo, 90% dos cerca de 6 mil animais registrados nas pequenas, médias e grandes propriedades da zona rural. Nos últimos dois anos da gestão anterior, Magé ficou abaixo da meta, segundo os dados oficiais do Governo do Estado.

Em 2019, foram vacinados contra febre aftosa na cidade 62% e 67% dos animais, na 1ª e 2ª etapas da campanha em Magé, respectivamente em maio e novembro. Em 2020, outros índices permaneceram negativos: 79% e 83% de animais imunizados na cidade, também na mesma ordem das etapas. Já o Estado do Rio como um todo ultrapassou a meta no ano passado, registrando um índice médio de 93%, apesar da pandemia.

"Nós vamos atingir a meta estabelecida pelo Estado este ano. Para isso, já acertamos com a direção do Colégio Estadual Agrícola de Magé (Ceia) para que os seus alunos do curso Técnico em Agropecuária auxiliem na vacinação. Além disso, planejamos a confecção de materiais gráficos, como panfletos e cadernetas de vacinação, para conscientizar os criadores sobre a importância da imunização dos seus rebanhos", disse o secretário André Castilho adiantando ainda que a vacina será fornecida pela Prefeitura para quem for dono de até 30 animais.

De acordo com o secretário estadual de Agricultura, Marcelo Queiroz, que esteve na semana passada em Magé com o prefeito Renato Cozzolino e o secretário André Castilho e equipe, também destacou a importância da imunização de bois e búfalos, tanto do ponto de vista da saúde pública quanto da economia para o Estado do Rio.

" Se mantivermos ou ultrapassarmos a meta de 90% do gado vacinado este ano em todo o Estado, é possível até que não tenhamos a obrigatoriedade da campanha em 2022. Isto pode representar uma economia para os criadores com compra de vacinas e para o Estado com a logística da imunização. Isto também vai ampliar o mercado de exportação porque muitos países não compram carne de animais vacinados", explicou o secretário estadual de Agricultura.

Ainda segundo a Secretaria Estadual de Agricultura, a febre aftosa está praticamente erradicada do Estado. O último caso foi registrado em 1997, justamente em Magé. Mas um único novo caso compromete todo o rebanho do Rio, ou seja, nenhuma carne pode ser comercializada dentro e para fora do território do Estado.

RISCOS DA DOENÇA - A febre aftosa é uma doença viral altamente contagiosa que afeta gado bovino, búfalos, caprinos, ovinos e suínos. A aftosa, no entanto, não afeta equídeos. Os sintomas são febre e aparecimento de vesículas (aftas), principalmente na boca e pés dos animais. O vírus está presente nas aftas, além do sangue, saliva, leite, urina e fezes dos animais, podendo ser contraído por contato direto com outros animais infectados, alimentos e objetos contaminados, como mãos, roupas, calçados e veículos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

Post Bottom Ad

Pages