Moradores de Belford Roxo recebem a dignidade de volta - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

Home Top Ad




PUBLICIDADE

19/03/2018

Moradores de Belford Roxo recebem a dignidade de volta


“A essa altura da vida não esperava mais conseguir uma casa para morar. Estava desesperado, morando na rua, embaixo de uma escada na localidade conhecida como Cobal, no bairro da Prata. Graças a Deus, meus vizinhos me levaram à Secretaria de Assistência Social, onde fui acolhido e consegui resolver meu problema. Hoje ganhei amigos que se tornaram uma família para mim”, disse emocionado Valberto Rodrigues, de 52 anos. Ex-morador de rua, Valberto é um dos usuários do Centro Especializado para Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop) de Belford Roxo. Através dos programas sócios assistenciais, Valberto foi inscrito no Programa Minha Casa, Minha Vida e foi sorteado para o condomínio no bairro de Santa Tereza, em Belford Roxo.

O mesmo aconteceu com Henrique Francisco dos Santos, de 63. Vivendo também pelas ruas do município, ele não esperava ser um “verdadeiro” cidadão. “A única documentação que tinha era a minha certidão de nascimento que estava incompleta. Um amigo me indicou a procurar o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Centro para tentar conseguir obter a minha documentação. Hoje, minha certidão já consta os dados corretos, já tenho CPF e título de eleitor. Estou no aguardo da minha carteira de trabalho, pois pretendo me aposentar por invalidez”, contou agradecido Henrique. 

Esses são relatos de alguns usuários dos equipamentos de Belford Roxo como os Centros de Referência de Assistência Social (Cras), os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), do Centro Especializado para Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop) e da Casa de Passagem. Valberto e Henrique são ex-moradores de rua e são atendidos no Centro Pop, que fica na Estrada Plínio Casado 3.968, no Centro do município. Com histórias que emocionam, os usuários contam como conseguiram, através dos equipamentos recuperar a autoestima e a dignidade.

Capacitação

Com o objetivo de dar uma melhor qualidade de vida à população, a Prefeitura de Belford Roxo, através da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, investe cada vez mais em seus equipamentos e na capacitação dos funcionários. Atualmente, o município conta com 13 Cras, três Creas, um Centro Pop e uma Casa de Passagem. Segundo a secretária de Assistência Social e Cidadania, Daniela Carneiro, o governo municipal busca aprimorar os serviços dos equipamentos. “Estamos preocupados em dar dignidade e cidadania à nossa população”, enfatizou Daniela Carneiro.

O secretário-executivo da pasta, Diogo Bastos, informou ainda que o governo vem fortalecendo a rede e capacitando seus profissionais a fim de prestarem um melhor atendimento aos munícipes para que eles tenham acesso às políticas públicas de qualidade. A coordenadora do Centro Pop, Marisa André Pereira, informou que o Centro Pop atende a cerca de 80 pessoas mensalmente. “Atendemos a jovens, adultos, idosos e famílias que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência. O serviço pode ser acessado de forma espontânea pela pessoa em situação de rua, a qualquer momento ou através do encaminhamento do Serviço Especializado em Abordagem Social, por outros serviços da assistência social ou por órgãos do Sistema Judiciário”, acrescentou a coordenadora. O Centro Pop fica na Estrada Plínio Casado 3968, no Centro de Belford Roxo.

Adolescente interage com amigos

O adolescente Patrick Cassiano dos Santos, de 12 anos, é outro beneficiário dos equipamentos da Prefeitura de Belford Roxo. Frequentando o Cras do Wona há quatro anos, Patrick que sofreu com um problema neurológico e tem déficit de atenção e perda auditiva, conseguiu recuperar, através do trabalho desenvolvido pela equipe pedagógica e assistencial, a sua autoestima. De acordo com sua mãe, a dona de casa Kátia Michelle dos Santos, de 38, Patrick hoje é outro menino e consegue interagir com outras pessoas.

“Moro no Parque Suécia e procurei a Assistência Social e Cidadania para receber o Programa Bolsa Família e também um benefício que meu filho tinha direito. Graças a Deus, Patrick recebe hoje acompanhamento no Cras, participa de oficinas como de artesanato, atividades na brinquedoteca e foi incluso no ensino regular. Só tenho a agradecer a equipe do Cras”, disse a mãe de Patrick, acrescentando ainda que seu outro filho Caíque, de 6 anos, também é atendido no local. 

A assistente social e coordenadora do Cras Wona, Vanessa Ferreira Queiroz, disse que ao chegar ao equipamento, Patrick sofria bullying e foi se desenvolvendo aos poucos. “Tanto o Patrick, como o seu irmão tiveram uma evolução muito grande após serem atendidos pelos nossos profissionais. Aqui eles recebem atenção psicopedagoga e de nossos assistentes sociais. Eles se sociabilizaram”, explicou a coordenadora. O Cras do Wona fica na Rua Cromita, Lote 30, Quadra 1, bairro de mesmo nome. São 3.954 famílias referenciadas, sendo 94 famílias acompanhadas diretamente.

O QUE SÃO: 

Cras

O Cras é uma unidade pública estatal descentralizada da política de assistência social sendo responsável pela organização e oferta dos serviços socioassistenciais da Proteção Social Básica do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) nas áreas de vulnerabilidade e risco social dos municípios e DF. O Cras representa a principal estrutura física local para a proteção social básica, desempenha papel central no território onde se localiza, possuindo a função exclusiva da oferta pública do trabalho social com famílias por meio do serviço de Proteção e Atendimento Integral a Famílias (PAIF) e gestão territorial da rede socioassistencial de proteção social básica.

Creas

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) configura-se como uma unidade pública e estatal, que oferta serviços especializados e continuados a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos (violência física, psicológica, sexual, tráfico de pessoas, cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto). A oferta de atenção especializada e continuada deve ter como foco a família e a situação vivenciada. Essa atenção especializada tem como foco o acesso da família a direitos socioassistenciais, por meio da potencialização de recursos e capacidade de proteção.

19/03/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 984040-254

Post Bottom Ad

Pages