Hospital Geral de Nova Iguaçu registra aumento de atendimento às vítimas de acidente de trânsito - Jornal Destaque Baixada

DESTAQUE

PUBLICIDADE

05/05/2022

Hospital Geral de Nova Iguaçu registra aumento de atendimento às vítimas de acidente de trânsito



O número de vítimas de acidente de trânsito que chegam à emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) nos quatro primeiros meses deste ano é o maior dos últimos cinco anos da unidade. Foram registrados 1.574 atendimentos a acidentados, o que representa um aumento de 67% se comparado ao mesmo período de 2021, com 941 feridos, e 89% em relação a 2020,com 830 atendimentos.

Esse crescimento reforça a importância do “Maio Amarelo”. A campanha tem como objetivo alertar a população para os altos índices de vítimas de acidentes de trânsito, e sobre a necessidade da conscientização, respeito e responsabilidade sobre o assunto.

Levantamento feito pelo HGNI mostra que acidentes com moto lideram o ranking de casos que chegam à emergência, representando 61% dos atendimentos. Atropelamento aparece na segunda colocação, com 18%. Vítimas de colisão com carro aparecem em terceiro lugar, com 11,3% do total. Além destas ocorrências, a equipe médica também recebe feridos por acidente de bicicleta, de caminhão ou ônibus, capotamento e queda de veículos, que, somados, representam 9,7%.

O diretor-geral do HGNI, Joé Sestello, destacou a importância da campanha “Maio Amarelo” para conscientizar a população sobre a necessidade dos cuidados no trânsito. Ele falou sobre a realidade dos atendimentos do hospital, um dos únicos de trauma que recebe pacientes de toda a Baixada Fluminense.

“É fundamental conscientizar a população sobre os atendimentos às vítimas de acidente de trânsito no hospital e também a necessidade de prevenção. Sabemos que existem fatalidades, mas a maioria dos acidentes com moto, por exemplo, poderia ser evitada com direção segura e o uso correto dos equipamentos de proteção. Há também um grande número de atropelados e casos de colisão de carro por imprudência. Todos são casos alarmantes e de risco de vida”, alerta.

Traumatismos cranianos em acidentes de moto chamam a atenção

Os casos de moto chamam a atenção pelo número e pela gravidade. Na maioria das vezes são pessoas entre 18 e 40 anos que pilotam sem utilizar os equipamentos de proteção, principalmente o capacete. Entre os diagnósticos mais comuns estão fraturas dos ossos das pernas e dos braços, além do traumatismo crânio-encefálico (TCE). No HGNI, cerca de 30% dos feridos em acidentes de moto precisam ser internados.

“Infelizmente não é incomum encontrarmos pessoas que levam duas ou mais pessoas na carona da moto, incluindo crianças. Isso representa um risco de vida para toda essa família”, lamenta o diretor-geral do HGNI.

O não uso de capacete é a principal causa de TCE, quando a pessoa sofre uma pancada na cabeça que pode ocasionar em danos neurológicos, entre os pacientes. De acordo com o médico chefe do serviço de neurocirurgia do HGNI, Rafael Baptista de Mello, a vítima pode ter desde lesões simples até quadros de maior preocupação, como crises convulsivas, modificações cognitivas, transtornos de comportamento, afundamento de crânio e mesmo ficar em coma persistente. Em seu atendimento, o paciente pode precisar de um ou mais procedimentos cirúrgicos, ter longa internação, por vezes mais de 30 dias, que ainda sim não há como garantir a plena recuperação de sua saúde física e cognitiva.

“A moto é um meio de transporte com grande chance de queda. Mas se você tiver toda a proteção, talvez não precise de assistência hospitalar. Sem o capacete, não tem como pensar em dirigir moto”, adverte o médico. “O carona também precisa estar equipado e atento durante o percurso. Se ele não conseguir se proteger, pode ser arremessado, ter desde um traumatismo craniano até lesões graves na coluna, que podem provocar paraplegia ou tetraplegia, dependendo do caso”, completa.

TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

Publicado em 05/05/2022

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, informe nossa equipe 21 97629-7675

©2022 I Todos os direitos são reservados ao Jornal Destaque Baixada, conforme a Lei nº 9.610/98. A publicação, redistribuição, transmissão e reescrita sem autorização prévia são proibidas.

Pages