Responsive Ad Slot

Mostrando postagens classificadas por data para a consulta saúde. Ordenar por relevância Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por data para a consulta saúde. Ordenar por relevância Mostrar todas as postagens

Mais de 15 idosos são resgatados de asilo clandestino em Nova Iguaçu; homem acabou preso

Nenhum comentário

quarta-feira, maio 29, 2024


Um homem acabou preso, numa ação da promotoria do idoso do Ministério Publico do Rio de Janeiro, onde 18 idosos foram resgatados em um asilo clandestino na Baixada Fluminense.

O local foi descoberto na tarde de terça-feira (28), em Nova Iguaçu e de acordo com os funcionários da Secretaria de Saúde, eles estavam situação de completo abandono, sem comida e muito debilitadas.

Entre os regatados, há uma pessoa com deficiência. A Casa de Amparo Luz do Sol foi interditada pelo Ministério Público. Esse é o terceiro abrigo clandestino administrado por ele que é fechado e interditado.

Comida vencida e relatos de tortura

conforme informou a saúde da cidade, alguns das oito mulheres – sendo uma cadeirante - e dez homens resgatados, além da situação insalubre, tinham feridas no corpo. Muitos estavam desnutridos e foram encontradas comida e remédios vencidos.

Relatos das vítimas dão conta que eles eram torturados com toalha molhada, para que não ficassem marcas no corpo. Os idosos foram levados a um abrigo provisório da prefeitura e os familiares das vítimas foram notificados.

O responsável pelo local vai responder pelos crimes de maus tratos e contra o consumidor, já que os familiares dos idosos pagavam uma mensalidade equivalente a um salário-mínimo.

  TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

SEGUE TAMBÉM NOSSO TIKTOK AQUI 

Light abre mais de 150 vagas para Eletricista de Rede Aérea

Nenhum comentário

A Light está oferecendo 182 vagas para Eletricista de Rede Aérea no Rio de Janeiro e região do Vale do Paraíba, no Sul do estado.

A empresa oferece remuneração atrativa e compatível com o mercado, mais benefícios, como Vale-Refeição/Alimentação, Vale-Transporte, Seguro de Vida, Treinamentos especializados, Convênios com empresas Parceiras, além de Plano de Saúde e Odontológico.

Os requisitos necessários são:

• Ensino médio completo;
• Curso de Eletricista completo;
• CNH B

Para se candidatar às vagas, os interessados devem se inscrever através do link (AQUI),

   TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

SEGUE TAMBÉM NOSSO TIKTOK AQUI 

Hospital Geral de Nova Iguaçu alerta para aumento no atendimento a pacientes vítimas de quedas

Nenhum comentário

terça-feira, maio 28, 2024



Foi com a melhor das intenções que Severino Rafael dos Santos, de 77 anos, se arriscou para salvar o gato de seu vizinho que estava preso no telhado de sua casa e miava desde cedo, na última sexta-feira (24). O idoso colocou uma escada no muro e carregou uma outra, menor, para alcançar o bichano. Infelizmente, Severino se desequilibrou e caiu sentado no chão da varanda, sentindo fortes dores no quadril e na perna. Ele foi socorrido por vizinhos, que chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU-192) de Nova Iguaçu, e encaminhado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI).

Na unidade, exames comprovaram que o paciente havia quebrado o fêmur esquerdo e precisaria ficar internado.

“Um susto, Deus que me perdoe. Eu saio de casa às 5h20 para caminhar, como que vou fazer agora? Eu gosto de caminhar, de andar de bicicleta e agora estou nessa situação, mas vai ficar tudo bem”, explica Severino, que relembrou o episódio, contando o motivo de sua ação. “O gatinho é do meu vizinho que está internado. Não tinha ninguém para cuidar dele”.

Histórias de quedas como a de Severino têm se tornado comuns no HGNI. Para ter uma ideia, este tipo de ocorrência é a segunda principal causa de traumas, representando 13,3% do total de atendimentos, perdendo somente para os acidentes de trânsito, que incluem moto, carro e atropelamento. Em 2023, a unidade de saúde atendeu 975 pessoas que sofreram algum tipo de queda. Já nos quatro primeiros meses deste ano, foram 383 casos.

“É mais grave em idosos, pois eles têm ossos mais frágeis e problemas de saúde associados que podem levar a essas quedas. Então é mais provável que sofram fraturas ou traumatismos cranianos, que dependem de um tempo de internação e até mesmo cirurgia. Nossas equipes ficam atentas para um atendimento ainda mais minucioso à população de mais idade”, ressalta o diretor-geral do HGNI, Ulisses Melo.

São variados perfis de vítimas de quedas atendidas no HGNI. Desde trabalhadores que caem de escadas ou da laje, a pessoas que sofrem acidentes domésticos. Para isso, a equipe médica busca entender os tipos de lesões provocadas por essa queda, como fratura dos ossos do braço e da perna e traumatismos cranianos, e tratá-las. Esse paciente recebe atendimento com médicos especialistas em traumas, como ortopedistas, cirurgiões gerais, neurocirurgiões, bucomaxilofaciais e clínicos, até a definição de sua alta ou internação.

Severino soube que o gato conseguiu sair do telhado com a ajuda de outros vizinhos.

“O gatinho é tão bonitinho, preto e branco, parecia até botafoguense”, conta ele, com bom humor.

  TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

SEGUE TAMBÉM NOSSO TIKTOK AQUI 

7 entre 10 casos de câncer de fígado acometem os homens

Nenhum comentário

O câncer hepático (do fígado) é o sexto mais comum no mundo, acometendo 866 mil pessoas anualmente, segundo a Agência Internacional para Pesquisa do Câncer da Organização Mundial da Saúde (IARC-OMS). Entre os homens, a doença é o quinto câncer mais comum, registrando 600 mil casos anuais, o que representa 69% dos casos. No Brasil, segundo projeções do Instituto Nacional de Câncer (INCA), são mais de 10.700 casos e mais de 6 mil mortes anuais. Nesta estatística, está o deputado estadual Otoni de Paula Pai (MDB), do Rio de Janeiro, que morreu nesta segunda (27), aos 71 anos, por conta da evolução de um câncer no fígado. A informação foi confirmada nas redes sociais pelo filho, o deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ).

O tipo mais comum de câncer de fígado é o carcinoma hepatocelular, que responde por 80% dos casos de tumor primário maligno neste órgão. O principal fator de risco para o surgimento da doença é a evolução de um quadro de cirrose. Outros fatores de risco importantes são as infecções pela hepatite B e C, diabetes, tabagismo, doença hepática gordurosa não alcoólica e determinadas doenças hereditárias do fígado, como a doença de Wilson e hemocromatose. Outros tipos de câncer de fígado, menos comuns, são o colangiocarcinoma intra-hepático e o hepatoblastoma.
Para prevenir o câncer de fígado, orienta o cirurgião oncológico Rodrigo Nascimento Pinheiro, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) e titular do Hospital de Base, de Brasília, é essencial evitar o consumo de bebidas alcoólicas. “Além disso, recomenda-se manter um peso saudável, por meio de dieta adequada e prática de exercícios físicos”, afirma. Outras medidas importantes são vacinar contra a hepatite B e prevenir a infecção por hepatite C (optar por sexo com proteção, não usar drogas intravenosas e aplicar tatuagens e piercings em lugares seguros).

Sinais e sintomas de câncer no fígado - Na maioria das vezes, os sinais e sintomas de câncer no fígado só aparecem nos estágios mais avançados. Entre eles, pode-se incluir: fadiga constante; perda de peso sem motivação aparente; falta de apetite; sensação de plenitude após refeições leves; náuseas ou vômitos frequentes; aumento do tamanho do fígado e do baço; dor e/ou inchaço abdominal; ascite (acúmulo de líquidos no abdômen); veias abdominais dilatadas e visíveis a olho nu; coceira; febre recorrente; hemorragias; icterícia (pele e olhos amarelados); e agravamento do quadro de hepatite crônica ou cirrose.




60% a 70% de chances de cura - Quando o diagnóstico do câncer de fígado ocorre em estágios iniciais e é possível realizar a cirurgia de câncer de fígado, há um considerável potencial curativo. Estudos mostram que a taxa de sobrevida em cinco anos para pacientes com tumores ressecáveis, em fígados saudáveis (sem cirrose ou outros problemas),é de 35%. Já para pacientes submetidos ao transplante hepático, a taxa de sobrevida em cinco anos fica entre 60% e 70%.

Quando recebe o diagnóstico precoce, o paciente com câncer de fígado costuma receber a indicação de cirurgia. Esses tumores são classificados como potencialmente ressecáveis ou transplantáveis. Dentre as cirurgias está a hepatectomia parcial, técnica pela qual se remove parte do órgão. Ela é indicada para fígados saudáveis (com a função preservada) e tumores pequenos e localizados. Além disso, é preciso que o estado de saúde geral do paciente esteja bom. Como exige o diagnóstico precoce da doença, apenas uma pequena porcentagem dos pacientes com neoplasia hepática pode realizar a cirurgia. Isso porque, é imprescindível que a lesão não tenha invadido os vasos sanguíneos próximos — nesse caso, o risco de recidiva ou de disseminação pós-cirúrgica é alto. Por vezes, a hepatectomia parcial pode ser associada a outras terapêuticas, com o objetivo de potencializar os resultados do tratamento. É o caso, por exemplo, da quimioembolização (injeção local de medicamentos quimioterápicos).

Há também a cirurgia para câncer de fígado potencialmente transplantável. O transplante de fígado (proveniente de doação) é indicado para pacientes com tumores pequenos e localizados, mas com grave comprometimento da função hepática. Outra indicação são quadros em que o tumor não pode ser removido, devido à localização. Muitas vezes, a cirurgia de transplante é associada a outras terapêuticas. É o caso, por exemplo, da ablação, um tratamento que destrói o tumor (com ondas de radiofrequência, calor, congelamento ou injeção percutânea de etanol) sem removê-lo. Outra combinação possível é com a embolização. Essa terapêutica consiste na injeção de substâncias que bloqueiam ou, pelo menos, diminuem o fluxo de sangue para o tumor, bloqueando seu aporte de oxigênio.

Gastrite e Cisto podem virar câncer? Confira as respostas para essas e outras dúvidas sobre a doença

Nenhum comentário

Especialistas afirmam que é muito importante que as pessoas busquem informações para a conscientização e para buscar novas formas de prevenção e cuidados com a doença. O cirurgião oncológico do Hospital Edmundo, Vinicius de Borba Marthental, responde abaixo algumas das dúvidas mais comuns sobre o assunto:

Cisto pode virar câncer?

Segundo o médico na maioria dos casos eles não se transformam em câncer e são, em geral, formações benignas que podem aparecer em diversas partes do corpo, como mama, tireoide e rim. “A transformação de um cisto em câncer é rara e depende de vários fatores, incluindo o tipo específico do cisto e sua localização. É importante que qualquer novo cisto ou mudança em um cisto existente seja avaliada por um médico especialista no assunto, para um diagnóstico adequado”, detalha. De acordo com ele, é preciso ter atenção a alguns tipos de cistos de pâncreas e dos rins podem ter características atípicas, então é importante consultar um cirurgião especializado para verificar a possibilidade de realizar uma biópsia ou a retirada da lesão.

Gastrite pode virar câncer?

Vinicius explica que doenças crônicas como gastrite crônica, especialmente quando associada à infecção por Helicobacter pylori, podem aumentar o risco de câncer de estômago. “A inflamação crônica do estômago pode levar a alterações pré-cancerosas na mucosa gástrica, que, se não tratadas, podem evoluir para câncer. Portanto, o tratamento eficaz da gastrite e a erradicação do H. pylori são importantes para reduzir esse risco”, afirma ele.

Como é o nódulo do câncer de mama? E quais os sinais do câncer de mama, no geral, e em quem está amamentando?

O especialista detalha que o nódulo do câncer de mama frequentemente se apresenta como um caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor. “É importante destacar que nem todos os nódulos na mama são cancerígenos, mas a presença de um nódulo nessas características exige uma avaliação médica para um diagnóstico preciso”, alerta ele.

Já entre os sinais, além do nódulo, Vinicius destaca a presença de alterações na pele da mama, que pode ficar avermelhada ou com aspecto de casca de laranja, mudanças no bico do peito (mamilo), como retração ou alteração de posição, e saída espontânea de líquido de um dos mamilos, que pode ser sanguinolento, claro ou de outra cor. “Em mulheres que estão amamentando, qualquer nódulo ou alteração deve ser avaliada, pois alterações benignas como mastites ou obstruções também são comuns neste período, mas é vital descartar a presença de câncer”, pondera ele.

Como a alimentação pode influenciar no desenvolvimento de algum tipo de câncer? Quais as outras formas de se prevenir de um câncer?

O médico do Hospital Edmundo Vasconcelos reforça que a alimentação pode influenciar no desenvolvimento de alguns tipos de câncer. Uma dieta rica em frutas, vegetais, fibras e pobre em gorduras saturadas e carnes processadas, pode reduzir o risco de certos tipos de câncer, incluindo câncer de cólon, mama e próstata, especialmente por conta dos antioxidantes, fibras e outros compostos benéficos presentes nesses alimentos, que podem proteger contra danos celulares.

“Para além dos cuidados com a alimentação, é possível reduzir o risco de desenvolver câncer com a adoção de hábitos saudáveis como praticar exercícios regularmente, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, proteger-se contra infecções que podem levar ao câncer (como HPV e hepatite), evitar a exposição excessiva ao sol e realizar check-ups regulares que incluem exames de detecção precoce para tipos de câncer como de mama, próstata, cólon e colo do útero, conforme recomendações médicas”, garante o médico.

Quais os tipos de câncer mais comuns no Brasil?

O Câncer de pele, do tipo não melanoma, engloba o grupo de cânceres mais comuns no Brasil. Segundo dados do INCA, os principais tipos de câncer na mulher brasileira são o câncer de mama, câncer de colo de útero, câncer colorretal, câncer de pulmão e câncer de tireoide. Já para os homens os mais comuns são o câncer de próstata, câncer de pulmão, câncer colorretal, câncer de estômago e câncer de cabeça e pescoço.

Qual a importância da vacina HPV e que tipo de câncer ela protege? Quem pode tomar?

O especialista ressalta que a vacina HPV é crucial para prevenir o câncer cervical, câncer anal, de pênis, de vulva, de vagina e orofaríngeo. “A vacina funciona por meio da indução do sistema imunológico a produzir anticorpos contra o HPV, prevenindo assim a infecção”, diz.

São dois tipos de vacinas disponíveis no Brasil: a quadrivalente contra o HPV (protege contra quatro tipos de vírus) e a nonavalente (protege contra nove variantes). “Ambas são eficazes na prevenção de condições causadas pelo HPV, como verrugas genitais e certos tipos de câncer. A nonavalente, por incluir mais tipos do vírus, incluindo variantes de alto risco associadas ao câncer, pode oferecer uma proteção mais ampla”, detalha.

O Ministério da Saúde oferece a vacina no SUS para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos para proteger antes do início da vida sexual. Há também uma ampliação do público-alvo para pessoas imunossuprimidas de 9 a 45 anos e vítimas de violência sexual de 9 a 45 anos, com esquemas vacinais adaptados para esses grupos. “Já a vacina nonavalente pode ser administrada em mulheres de meia-idade (27–45 anos), após análise clínica ponderada sobre o risco individual e a situação específica de cada uma, mesmo que as evidências sobre seus efeitos preventivos nessa faixa etária sejam insuficientes”, finaliza.

     TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

SEGUE TAMBÉM NOSSO TIKTOK AQUI 

Entenda por que no outono e inverno há aumento de doenças respiratórias

Nenhum comentário
Reprodução rede social

Todos os anos, as estações de outono e inverno concentram o maior número de casos de infecções virais que afetam a capacidade de respirar bem. A queda de temperatura e o tempo seco, características dessa temporada, favorecem a propagação de vírus com maior intensidade, levando a doenças que comprometem, principalmente, as vias aéreas superiores, ou seja, o nariz, ouvidos e a garganta.

O presidente da Academia Brasileira de Rinologia (ABR) e membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), Otávio Piltcher, explica que a gripe (vírus influenza), e os resfriados comuns (rhinovirus, vírus sincicial respiratório, etc) são as principais doenças virais do período. A covid-19, fruto do vírus Sars-CoV-2, também pode manter alta incidência na estação.

“A transmissão ocorre com maior facilidade nesse período devido a necessidade de convívio em ambientes menos ventilados para se manter aquecido. Além disso, a baixa umidade relativa do ar, quanto mais extrema, aumenta a concentração de poluentes, dificultando ainda mais o funcionamento correto do sistema respiratório,” explica o especialista.

Em situações de mudança brusca de temperatura, a função nasal pode ser prejudicada, diminuindo o sistema imune, responsável pelas defesas do organismo,o que deixa a saúde mais fragilizada, se tornando uma porta de entrada para enfermidades. O resultado dessa combinação de fatores é o aumento na busca por atendimento médico e das internações hospitalares.

“Em muitos casos, há agravantes. Essas doenças podem levar a outras complicações, pelos próprios vírus ou por bactérias, como as otites médias agudas (inflamação do ouvido), rinossinusites agudas, que é chamada popularmente de sinusite, bronquites, pneumonias, entre outras,” complementou.

Crianças

O boletim Infogripe, da Fiocruz, sinalizou nas últimas semanas o aumento da incidência de casos de doenças respiratórias em boa parte do território brasileiro.

O presidente da Academia Brasileira de Otorrino Pediátrica (ABOPe), Rodrigo Pereira, destaca que as crianças são as que mais sofrem nesse período, também conhecido como estação viral pelos médicos.

“O sistema imunológico das crianças continua em desenvolvimento, ou seja, ele tem menos experiência em lidar com infecções virais do que o dos adultos. Além disso, elas frequentam berçários, creches e escolas, onde o contato próximo com outras crianças e a troca de brinquedos é comum, o que facilita a disseminação de vírus, especialmente aqueles que se espalham pelo ar ou por contato direto”, esclarece.

Nas estações frias também são recorrentes os casos de faringoamigdalite, que é a infecção da faringe e das amígdalas, responsável por dor de garganta, febre e inchaço dos linfonodos do pescoço, chamado popularmente de íngua, além de aumento de crises de rinite alérgica e rinossinusite.

As viroses respiratórias, que causam congestão nasal, dificuldade de respirar, tosse, dor de cabeça, febre e mal-estar como principais sintomas, também podem evoluir para outros problemas. Grande parte das crianças que têm quadro de gripe ou resfriado desenvolve infecções de ouvido, a otite, que gera dor na região. O problema é tão comum nesse público que especialistas estimam que cerca de 70% das crianças terão um episódio do tipo antes de completarem cinco anos, segundo estudos médicos.

“Assim como a otite, a adenoidite também é uma doença sequencial que surge como complicação às viroses. Há inchaço da adenoide, também chamada popularmente como “carne esponjosa” da criança, podendo ser acompanhado de febre, formação de catarro amarelo-esverdeado e obstrução nasal”, informa o médico.

Medidas preventivas

Para crianças ou adultos, uma das medidas mais eficazes de prevenção é a imunização contra a influenza, bem como manter em dia a cobertura vacinal conforme a faixa etária, que envolve a proteção de outras doenças.

“A hidratação frequente, alimentação saudável e higiene de mãos também são muito importantes, bem como o uso de máscaras por profissionais e pacientes que apresentarem quaisquer sinais e sintomas como febre, dor de garganta, coriza, tosse, obstrução nasal, rouquidão”, orienta Piltcher.

Tratamento

Na presença de qualquer um desses sinais e sintomas, inicialmente é indicado manejo com analgésicos e antitérmicos comuns, contudo, conforme a intensidade e duração das queixas, o especialista indica a procura de atendimento médico para o correto diagnóstico e diferenciação entre quadros virais, com manutenção da conduta, ou complicações bacterianas, onde os antibióticos podem ser indicados.

O presidente da ABR enfatiza que a opção pela prescrição de antibióticos pelo profissional de saúde deve ficar restrita a condições específicas vinculadas a quadros bacterianos. “Esses medicamentos não têm nenhum papel para tratamento de infecções virais e tampouco previnem complicações. Seu uso indiscriminado é mais associado a efeitos adversos do que vantajosos”.

Além disso, o especialista alerta que o uso de corticoides orais, utilizado de forma assustadoramente frequente em pacientes com sintomas das vias aéreas, também é contraindicado na maioria desses casos. “Além de não haver evidências de benefício, o seu uso frequente está associado a consequências na saúde tanto para crianças quanto para adultos”, finaliza.

Menina que foi baleada na cabeça quando voltada da escola, em São João de Meriti, recebe alta e está em casa

Nenhum comentário

Depois de ter tido o quadro de saúde considerado gravíssimo, a adolescente atingida por balas perdidas na cidade de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, recebeu alta e já está em casa com seus familiares. Ela ficou quase três meses internada.

A menina voltava da escola quando foi atingida na cabeça, no antebraço esquerdo e na coxa esquerda. Conforme testemunhas, Evelyn Benedito de Oliveira, de 14 anos, estava acompanhada de amigos, quando ficaram em meio a um tiroteio entre criminosos na Avenida Euclides da Cunha, no bairro Vila São João.

A adolescente até tentou se proteger, mas foi atingida por três tiros, que acertaram a cabeça, o antebraço esquerdo e a coxa esquerda.

Ferida, ela foi socorrida e levada por moradores da região para a UPA de Jardim Íris, mas como a unidade não tinha suporte, ela precisou ser transferida para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, onde deu entrada já entubada e passou por cirurgia, para reduzir a pressão no crânio.

Ao deixar o hospital, a menina saiu ainda desacordada, mas os médicos da unidade garantem, que tudo será no tempo dela. Parentes afirmam, que a jovem não tinha despertado deste que foi internada e a expectativa é bastante grande ao ver ela abrindo os olhos. 

Waguinho inaugura Praça Leandro da Cruz Madeira no Barro Vermelho, em Belford Roxo

Nenhum comentário

segunda-feira, maio 27, 2024


O prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, inaugurou a Praça Leandro da Cruz Madeira (Tamanco), no Barro Vermelho. A cerimônia contou com a presença da primeira-dama e deputada federal Daniela do Waguinho, secretários, autoridades municipais e líderes locais.

Medindo 6.900 metros quadrados, a praça tem uma grande área de lazer para os moradores do bairro e adjacências composta por: duas quadras poliesportivas, uma quadra de vôlei, um campo de futebol, quatro quiosques, um vestiário feminino, um masculino e um para pessoa com deficiência; área de jogos, uma academia, dois playgrounds, árvore de basquete (estrutura metálica inspirada em uma árvores, de onde “brotam tabelas dos seus “galhos”) e outra academia também para a terceira idade. Além disso, a nova praça tem ainda: 10 mesas com quatro bancos cada, quatro mesas de xadrez, pista de corrida ao redor e iluminação de led.


O prefeito Waguinho destacou a importância do novo espaço público. “Cuidem com carinho desse lindo e amplo local para convivência. Essa grande praça faz parte da nossa gestão realizadora que continua investindo em melhorias e qualidade de vida para toda famílias belforroxenses. Vamos continuar avançando no lazer, saúde, educação e infraestrutura da cidade”, ressaltou o prefeito.


Local de encontros


A primeira-dama e deputada-federal Daniela de Waguinho, enfatizou a relevância do momento especial. “É com muita alegria que celebramos mais essa conquista para os munícipes. Que essa nova praça seja um local de encontros, sorrisos e momentos felizes, especialmente para as crianças, que poderão desfrutar de experiências divertidas”, frisou Daniela.


O secretário municipal de Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Matheus Carneiro, pontuou sobre o novo espaço. “Acreditamos que essa praça vai garantir o bem-estar dos moradores da região e estimular um estilo de vida mais ativo e saudável. A praça é de todos, aproveitem muito desse espaço público confortável e cuidem dele também”, realçou Matheus.


Moradores do bairro Vilarinho, o casal Airton e Lucimar Passos, de 63 e 61 anos, prestigiou o evento. “A praça está linda e somos nós que ganhamos com um bairro mais bonito, seguro, agradável e iluminado”, contou Airton. “Moro aqui há mais de 40 anos e esse espaço aconchegante é um sonho realizado para toda a comunidade”, completou Lucimar.


Prazer de estar entre amigos


O homenageado Leandro da Cruz Madeira, popularmente conhecido como Tamanco, foi nascido e criado no Barro Vermelho, local em que conhecia a maioria dos moradores. Muito prestativo, Tamanco gostava de ajudar as pessoas e tinha o prazer de estar sempre reunido com os amigos. Tamanco morreu no dia 28 de agosto do ano passado, aos 45 anos, deixando saudade nas filhas Letícia e Vitória, nos irmãos Leonardo, Adriana, Andréia e Aline, além de parentes e amigos.


A professora e filha do homenageado, Letícia Orçay, de 23 anos, agradeceu pela eternização do legado de Leandro. “Gostaria de expressar o orgulho e felicidade do fundo do meu coração por esse gesto ao meu pai que era um homem muito amado pela família e amigos. Tenho certeza que a nova praça será um local de alegria e benção”, compartilhou Letícia.

CAPS II de Belford Roxo promove sessão de cinema marcando o Dia da Luta Antimanicomial

Nenhum comentário

sexta-feira, maio 24, 2024



A Prefeitura de Belford Roxo, através da Secretaria Executiva de Saúde Mental, realizou na quinta-feira (23-05) uma sessão de cinema na sede do CAPS II, em Areia Branca, para marcar o Dia da Luta Antimanicomial, lembrado em 18 de maio.

A diretora do CAPS II, Hanna Nazario, trouxe a animação “Divertida Mente” para os usuários do equipamento, com uma temática e conceitos criativos sobre os sentimentos humanos. “A experiência funcionou com uma integração social e extensão ao trabalho terapêutico, além de oferecer a oportunidade de ir ao cinema e ampliar o engajamento dos usuários e funcionários no processo de tratamento”, contou a diretora.

Integração social

A coordenadora municipal da Divisão de Saúde Mental, Camila Cortes, destacou a importância da ação. “Esse é mais um dos projetos para desenvolver a autonomia dos nossos usuários e garantir atividades mais lúdicas que trabalham a psicologia das emoções”, ressaltou. “A dinâmica dessa atividade foi voltada para o tema antimanicomial que reforça o tratamento com processos de integração social, reinserção ao núcleo familiar e suporte multidisciplinar”, finalizou Camila.

A data de 18 de maio é celebrada em todo país como o Dia da Luta Antimanicomial em referência a 1ª Conferência Nacional de Saúde Mental, realizada em 1987. Na ocasião, foi elaborado um documento que propôs a reformulação do modelo assistencial em saúde mental e a reorganização dos serviços.




--

Idosos de Belford Roxo fazem curso sobre Educação Alimentar e Nutricional

Nenhum comentário

quinta-feira, maio 23, 2024


A Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e Combate à Fome (Semascf) de Belford Roxo, através de sua Superintendência, lançou esta semana o Projeto Viver Bem a Nova Idade, elaborado especialmente para idosos assistidos pelos equipamentos sociais da Prefeitura. A ideia foi apresentada pelo Departamento de Gestão das Ações de Segurança Alimentar e Nutricional, na sede do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Apoio à Pessoa Idosa (API), no Bairro Xavantes.

Gratuitamente, os idosos frequentadores do API vão participar de 10 aulas sobre Educação Alimentar e Nutricional. “As aulas serão ministradas por nossos técnicos. Vamos ficar um mês no API e depois levaremos o projeto para outros equipamentos administrados pela Semascf, objetivando que todos possam ter acesso às orientações nutricionais de acordo com a individualidade da terceira idade”, disse a nutricionista Juliana Richa, responsável pelo Departamento de Gestão das Ações de Segurança Alimentar e Nutricional.

Garantia de Direitos

Richa destacou que se baseou, junto com a sua equipe, no último Censo Demográfico de 2022. Segundo ela, a pesquisa informou que mais de 22 milhões de brasileiros têm idade acima de 65 anos, quase de 11% do total de habitantes. “A população está vivendo mais. No entanto, devemos ter o cuidado de envelhecer com saúde, se alimentando de uma maneira saudável. O projeto surge com o intuito de contribuir com o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e nada melhor do que priorizar as pessoas da terceira idade”, afirmou.




A secretária municipal de Assistência Social, Cidadania e Combate à Fome, Clarice Santos participou do lançamento do projeto. “A qualidade nutricional na alimentação reflete na nossa saúde. Nunca é tarde para aprender. Estou muito feliz com esse projeto”, assegurou Clarice. A dona de casa Aparecida Lopes da Silva, 60, também gostou do projeto e garantiu que não vai perder nenhuma aula. “As pessoas comem de tudo e depois reclamam. Eu já faço a minha educação alimentar. Com o curso terei condições de aprender mais para ensinar ao meu marido e à minha neta também”, disse.




Módulos de estudo




As primeiras aulas serão divididas nos seguintes módulos de estudo: *Apresentação do Projeto, *Higienização Correta das Mãos e dos Alimentos, *A importância da Proteína na Terceira Idade, *Sal e Açúcar na Terceira Idade e seus Malefícios, * Cores dos Alimentos e seus Nutrientes, como dão disposição*Carboidratos na Terceira Idade, *Saladas, Vegetais e frutas na alimentação, *Alimentos Industrializados, qual melhor substituição saudável? *Gorduras, como, quando e onde usar e *Água para nutrir.




Também integram a equipe do projeto, a superintendente Carla Fernandes, o coordenador de Execução de Programas e Projetos, Cláudio Barros Soares Calçada e a técnica operacional, Ana Paula Costa Cardoso.

Belford Roxo oferece aulas grátis de pilates

Nenhum comentário

quarta-feira, maio 22, 2024


A Vila Olímpica de Belford Roxo vem realizando aulas de pilates todas às quartas e sextas-feiras com diversos horários disponíveis entre às 7h e 11h. O pilates é um exercício que reforça a postura física, promove o fortalecimento muscular e dá uma maior flexibilidade corporal, tudo por meio de simples atividades de força e equilíbrio com repetições.

A vila olímpica está de portas abertas para quem se interessar em praticar atividades físicas e até treinar para alguma competição. O complexo esportivo é um dos maiores da Baixada Fluminense e oferece o acesso a mais de 25 modalidades esportivas à população. A partir dos seis anos de idade já pode se matricular em qualquer tipo de atividade disponível no local.

Todas as atividades são oferecidas gratuitamente. Para se matricular, sendo menor de idade, é necessário: um adulto presente com documento para assinar; certidão de nascimento ou RG; comprovante de residência; declaração de escolaridade; uma foto 3×4 para cada atividade desejada e atestado médico. E sendo maior de idade é necessário: carteira de identidade; comprovante de residência; uma foto 3×4 para cada atividade desejada e atestado médico.

Problema na coluna



Geonece da Silva, 60 anos, diz que participa das aulas de pilates já faz 6 anos. “Acho muito importante para a saúde em geral. Eu estava com muitos problemas na coluna, estava com bico de papagaio, artrose e desde que comecei a fazer, melhorei muito", contou. "Meu marido vinha comigo, mas ficava só olhando, até que a professora o chamou e agora nós sempre participamos juntos”, finalizou Geonece.

O marido de Geonoce, Vanderlei Alves, 55, contou que faz pilates há 4 anos e recomendou a todos que se matriculem nas aulas. “Meu corpo está muito melhor. Agora me sinto bem e até mais animado para trabalhar", relatou. "Às vezes até para pegar as coisas do chão era ruim. Ou fazer alguns movimentos que antes eram difíceis, hoje ficam mais fáceis de fazer”, finalizou Vanderlei.

A Vila Olímpica fica na Rua Lecílio, s/n, bairro Nova Piam,

Garrafas d'água reutilizáveis pedem cuidados redobrados contra bactérias

Nenhum comentário

Garrafas de água reutilizáveis são cada vez mais comuns, seja por apelo ecológico, economia ou praticidade. Porém, alguns cuidados são necessários para evitar complicações à saúde. Isso porque essas garrafas, se não higienizadas corretamente, podem conter várias bactérias prejudiciais. A seguir, o Dr. Matias Chiarastelli Salomão, infectologista do Fleury Medicina e Saúde, esclarece as principais dúvidas sobre os cuidados que deve ter e alerta: “superfícies arranhadas ou amassadas favorecem o aumento de bactérias por criar uma área onde elas podem grudar e resistir à limpeza. Portanto, devemos evitar o uso de garrafas danificadas”, explica.

Quais bactérias podem ser encontradas em garrafas reutilizáveis?

Várias. Mas, nem todas as bactérias são nocivas para saúde e convivemos com diferentes delas em nosso organismo. Ou seja, em contato com essas garrafas, podemos encontrar bactérias que vivem em nossa boca, como a do gênero Streptococcus, mas também bactérias gram-negativas, que são associadas a uma série de patologias, como infecções intestinais e urinárias e meningite, por exemplo. Outras bactérias que podem ser encontradas nesses recipientes reutilizáveis são as que vivem em nossa pele, podendo contaminar o objeto durante a manipulação. Por fim, podemos encontrar bactérias que vivem normalmente na água e não foram filtradas.

Como higienizar esses recipientes?

Para a higienização adequada de uma garrafa reutilizável, recomenda-se a limpeza diária com água quente e detergente. A limpeza pode ser feita até em máquina de lavar louças, caso o material seja compatível. É importante lembrar de desmontar a garrafa para uma melhor higienização.

Qual garrafa é mais indicada? De plástico, vidro ou de metal?

As garrafas de vidro ou metal são mais tolerantes ao processo de higienização do que as garrafas de plástico. Também é indicado as garrafas do tipo squeeze, pois geralmente têm menos bactérias no bocal do que garrafas com canudo dobrável ou de tampa de rosca.

Higiene, sempre!

A higiene das mãos é sempre recomendável antes de pegar qualquer recipiente que seja levado à boca – seja garrafa reutilizável ou não, além de copos e latas. Logo, não basta higienizar somente esses objetos, mas também as mãos.

Doenças do outono: saiba como proteger a saúde dos idosos nesse período do ano

Nenhum comentário

terça-feira, maio 21, 2024



Conhecida por ser uma estação do ano com significativas mudanças climáticas, é durante o outono que acontece uma transição de temperatura e aumento da umidade. Essas mudanças podem alterar e influenciar diretamente na saúde dos brasileiros, especialmente os idosos.

Pessoas nessa faixa etária são mais suscetíveis à doenças respiratórias, alergias e resfriados, por isso, a adoção de práticas de prevenção é uma saída para evitar tais enfermidades. Silvia Camila Marchiore, gerente técnica da Home Angels, maior rede de cuidadores de idosos supervisionados da América Latina, listou algumas dicas.

Hidratação: Um erro comum é associar hidratação somente no verão. A água é fundamental para o bom funcionamento dos órgãos e para a regulação da temperatura corporal. “Criar o hábito de ingerir líquidos antes mesmo de esperar ter sede é importante para que o idoso não corra riscos de desidratação. Por isso, o estímulo de ingestão de hora em hora, em pequenas quantidades, é um forte aliado para a hidratação correta”, afirma.

Alimentação balanceada: Essencial em qualquer estação do ano, o cuidado com a alimentação nesse período é crucial para o fortalecimento do sistema imunológico. Por isso, refeições com fartura em legumes, verduras e frutas são essenciais.




Roupas adequadas: A oscilação de temperaturas é comum, por isso atenção redobrada com as peças de roupas. “Principalmente pela manhã e à noite, é importante que idosos se mantenham aquecidos com peças confortáveis e de acordo com suas necessidades. Vale lembrar também do uso de meias com antiderrapantes e sapatos confortáveis”, destaca.




Monitorar a saúde: Exames regulares e visitas a especialistas são recomendados. Além disso, monitorar as condições crônicas, como pressão arterial e diabetes, também é importante. “A companhia de um cuidador de idosos para a administração correta de medicamentos e essas checagens de pressão e diabetes faz total diferença. Além de garantir a efetividade na prevenção e nos tratamentos de cada assistido, eles são ótimos acompanhantes nessa fase e que a maioria das pessoas sente grande solidão”, reforça Silvia.

Mamógrafo móvel atende em São João de Meriti, na Baixada, até este sábado (25)

Nenhum comentário

A Prefeitura de São João de Meriti, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, iniciou os atendimentos de mamografia e ultrassonografia do Mamógrafo Móvel. Ele está localizado na Praça da Matriz, Centro do município até sábado, 25/5, das 8h às 17h.

A mastologista e coordenadora do Centro de Prevenção e Diagnóstico em Oncologia, Drª Cristina Fidalgo, reforçou que a precaução é essencial para a saúde feminina: “O câncer de mama tem cura, desde que seja diagnosticado precocemente. Para isso é necessário realizar os exames disponíveis aqui com regularidade, mesmo que estejamos assintomáticas, ou seja, sem nenhum sintoma na mama”, explicou ela. Por dia, são oferecidas gratuitamente 80 mamografias e 70 ultrassonografias em quatro modalidades: pélvica, tireoide, mama e transvaginal com e sem doppler.

Para a realização dos exames é necessário agendar na Central de Marcação de Consultas e Exames (Cemarc), localizada na Rua Valério Vilas Boas, 11 - Centro de São João de Meriti, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. As pacientes devem levar a identidade com foto, cartão SUS e comprovante de residência, todos com cópia. Além de apresentarem também o pedido médico original.

A cuidadora de idosos Tânia do Nascimento, 55 anos, entende a importância do serviço para o público feminino: “A mamografia é essencial, principalmente na minha idade. Nós temos que aproveitar oportunidades como essa. Fui muito bem recebida, todos os funcionários são muito agradáveis. Espero que as pessoas venham e aproveitem o Mamógrafo Móvel para não serem pegas de surpresa por uma doença”. A camelô Adriana Soares, de 49 anos, foi surpreendida pelo rápido atendimento e aconselhou as meritenses: “Foi ótimo, gostei muito. Não pensei que faria hoje, mas consegui e amei. Graças a Deus estão ajudando as pessoas aqui. Quem tá precisando fazer mamografia venha, temos sempre que fazer o diagnóstico para a prevenção!”. Silvana Bezerra, dona de casa, de 39 anos, também deixou o seu incentivo: “Eu recomendo que todas as mulheres venham fazer o exame que, além de ser muito importante, é ótimo. Foi a primeira vez que eu vim, é rápido e o resultado sai em até 15 dias. Tudo aqui está de parabéns”.

As mamografias podem ser feitas por mulheres de qualquer idade, mas as ultrassonografias de mama só são realizadas em pessoas acima de 40 anos de idade e com laudo de mamografia de até um ano.

Conheça os mitos e verdades sobre as cirurgias bariátricas

Nenhum comentário

Existem mais de 41 milhões de pessoas vivendo com a obesidade no Brasil, um dos índices mais altos do mundo. Longe de ser apenas uma questão estética ou comportamental, a obesidade é vista pela medicina como uma doença crônica, progressiva e recidivante.

“Falar para o obeso parar de comer é como pedir a uma pessoa com depressão para ser mais feliz ou com alguém com asma respirar melhor. A obesidade não é culpa do paciente, mas uma doença que requer tratamento”, alerta o cirurgião bariátrico Felipe Rossi, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

De acordo com o médico, a obesidade é uma doença multifatorial com fundo genético que piora com o tempo, levando a sequelas e enfermidades graves, como o diabetes, a hipertensão arterial e o câncer, por exemplo.

“Estamos falando de uma séria questão de saúde pública com impactos negativos na saúde física, mental e qualidade de vida do paciente. Além disso, há também um grande déficit para os cofres públicos, uma vez que a obesidade leva a outras doenças e ainda pode incapacitar as pessoas”, informa.

Diferentemente do que se acreditava no passado, a medicina reconhece que a reeducação alimentar e a prática regular de exercícios físicos não são a melhor solução para tratar esse tipo de enfermidade. Segundo o Dr. Rossi, estudos mostram que de cada 100 pessoas com obesidade, só 5 terão sucesso recorrendo à mudança de hábitos alimentares e inclusão de atividade física na rotina. E mais: após 3 anos, apenas uma ou duas pessoas conseguem manter o peso perdido em razão da mudança no estilo de vida.

Atualmente para tratar a obesidade existem opções medicamentosas e a cirurgia bariátrica. Apesar de estar disponível no SUS, apenas 0,2% dos brasileiros com obesidade grave (graus 2 e 3) conseguiram realizar a cirurgia bariátrica via rede pública devido à alta demanda.

Tão seguras quanto uma cesariana ou cirurgia de retirada de vesícula, as cirurgias bariátricas, quando bem indicadas e executadas por uma equipe treinada, são uma excelente opção para o tratamento da obesidade grave e de suas complicações.

Para esclarecer algumas questões relacionadas à cirurgia bariátrica, o Dr. Felipe Rossi elenca abaixo alguns mitos e verdades sobre esse procedimento minimamente invasivo que transforma a vida dos pacientes com obesidade.

Pessoas superobesas e com tratamento prévio podem fazer a cirurgia bariátrica. Mito.

A cirurgia bariátrica é indicada para pacientes com IMC (Índice de Massa Corpórea) entre 35 kg/m2 e 40 kg/m2 desde que apresentem uma comorbidade e já tenham recorrido sem sucesso a outra forma de tratamento. O procedimento também é recomendado para pacientes com IMC acima de 40 kg/m2, independentemente de ter uma comorbidade associada ou não. Já aqueles com IMC acima de 50 kg/m2 não requerem comprovação de tratamento prévio para estarem aptos ao procedimento. Por outro lado, a cirurgia metabólica é liberada para paciente com obesidade grau I e portadores de diabetes.

* O IMC é parâmetro adotado pela Organização Mundial de Saúde para calcular o peso ideal de cada pessoa, e é calculadora dividindo o peso (em kg) pela altura ao quadrado (em m).

Crianças não podem ser submetidas a uma cirurgia bariátrica. Verdade.

No Brasil, o procedimento é autorizado para pacientes entre 16 anos e 65 anos. No entanto, é possível, segundo o Dr. Felipe Rossi, operar pacientes idosos, desde que sejam avaliados de forma criteriosa e com menos de 16 anos, mas com restrições. Isso porque com o envelhecimento da população, as pessoas vivem mais, e a cirurgia bariátrica traz benefícios para a saúde destes indivíduos.

A obesidade está relacionada apenas a hábitos inadequados de vida. Mito.

“Esse é um estigma que precisamos combater. Precisamos tirar a culpa do paciente quando falamos de obesidade”, ressalta o cirurgião bariátrico. A obesidade é uma doença crônica que requer tratamento com acompanhamento multidisciplinar por toda vida. “Não é preguiça. Também não se trata de simplesmente fechar a boca como muitos pacientes costumam ouvir”, reitera o especialista.

Existem diferentes técnicas para a realização da cirurgia bariátrica. Verdade.

O Bypass Gástrico é uma das técnicas mais usados no país e consiste na redução do tamanho do estômago combinada com um desvio de uma parte do intestino. Além de comer menos, o paciente tem diminuída a absorção de alimentos. O procedimento é minimamente invasivo e feito por videolaparoscopia, por isso quase não deixa marcas.

Já o Sleeve Gástrico, que também pode ser feito de forma minimamente invasiva, por vídeo com pequenas incisões no abdômen, corta o estômago em sentido vertical, tirando todo o fundo e a grande curvatura gástrica.

Por serem minimamente invasivas, com pequenas incisões, ao contrário das cirurgias abertas, ambas as técnicas reduzem a possibilidade de complicações, possibilitam alta hospitalar precoce e causam menos dor aos pacientes.

Ambos os procedimentos também levam a alterações de hormônios gastrointestinais que minimizam a fome, aumenta a saciedade e melhoram as comorbidades.

O reganho de peso após a cirurgia bariátrica é comum. Mito.

Como toda doença crônica, a obesidade irá acompanhar o paciente por toda a vida. A bariátrica não é um procedimento mágico, mas exige que o paciente mude seu estilo de vida. É comum o paciente perder bastante peso nos primeiros meses após a intervenção e depois estabilizar. Embora o reganho de peso possa acontecer, ele é incomum, acometendo entre 20% e 30% das pessoas operadas.

Os novos medicamentos para emagrecer irão substituir a cirurgia bariátrica. Mito.

Hoje a medicina reconhece que o uso de determinados medicamentos que levam à perda de peso, como os análogos do GLP-1, podem ser associados à cirurgia bariátrica, como terapias combinadas. “Hoje tratamentos alguns casos de câncer com diferentes abordagens, esse é o futuro do tratamento da obesidade”, pondera o Dr. Rossi.

Belford Roxo realiza mutirão de doenças respiratórias com exame de espirometria

Nenhum comentário

segunda-feira, maio 20, 2024



A Prefeitura de Belford Roxo, através da Secretaria de Saúde, em parceria com a empresa Boehringer Ingelheim, realizou nesta segunda-feira (20-05), o primeiro dia do mutirão para doenças respiratórias por meio do exame de Espirometria, na Policlínica de Areia Branca. A ação continuará até a quinta-feira (23).

O exame de Espirometria, também conhecido como “exame do sopro”, avalia a função pulmonar e tomografia do pulmão, para que dessa forma seja realizado a análise para o diagnóstico de doenças respiratórias. Para a realização do exame, é preciso passar por consulta nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) que farão o encaminhamento à avaliação, caso seja necessário.

Exame técnico

No local, os pacientes passarão pela triagem com médicos e enfermeiros da atenção básica para então partirem para o exame técnico de espirometria. Se houver a necessidade, de uma tomografia ou de uma consulta com a pneumologista, o paciente pode receber uma prescrição médica ou ser encaminhado para vacinação. Ele retornará à atenção básica para outra verificação, podendo ser liberado para outra especialidade. Em alguns casos o paciente já sai com uma guia LME (Laudo de Medicamentos Especializados) para pegar os medicamentos na farmácia estadual.

O presidente do Fundo Municipal de Saúde, Carlos Andrade, declarou que o mutirão é um marco para a saúde Belford Roxo. “Essa é uma iniciativa que disponibilizamos para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o procedimento do exame de espirometria”, frisou. “Buscamos trazer para a nossa rede os pacientes que estão na fila de espera para que possam receber o tratamento. Essa é uma das nossas políticas de governo”, afirmou Carlos.

Pacientes com DPOC

A pneumologista Roberta Gomes explicou sobre a importância do mutirão. “Nós buscamos fazer o diagnóstico de pacientes com DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), pois quase 45% das pessoas só descobrem que têm alguma doença quando é hospitalizada”, frisou. “Então, aqui nós os avaliamos para que eles, após serem diagnosticados, possam iniciar algum tratamento o quanto antes”, finalizou Roberta.

A moradora do bairro Sargento Roncalli, Maria de Fátima, 61 anos, contou que foi muito bem atendida. “Fumei por muito tempo, mas já faz uns 4 anos que não coloco um cigarro na boca, pois tenho uma alergia que me dá muita falta de ar. A minha médica me indicou fazer o exame”, frisou Maria. “Eu tive pneumonia na época do COVID e fiquei sabendo que seria bom vir fazer esses exames aqui. Acho muito importante que cuidemos da nossa saúde”, afirmou a moradora do Xavantes, Hilma Soares, 76.

Confira 6 dicas para evitar manchas nos dentes após o clareamento

Nenhum comentário

Após conquistar um sorriso mais branco e radiante por meio do clareamento dental, é hora de preservá-lo com cuidados específicos. A técnica, embora simples, exige atenção para evitar potenciais contratempos, como o surgimento de manchas.

“No clareamento, os dentes são cobertos por uma camada de esmalte e dentina que, diferentemente do que se acredita, não é lisa, mas tem micro buraquinhos, chamados de túbulos dentinários”, diz o Dr. Fábio Azevedo, Cirurgião-Dentista e Consultor do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da S.I.N. Implant System. “Durante o tratamento, eles ficam mais suscetíveis e podem trazer sensibilidade dentária. Quando comemos um alimento com corantes, por exemplo, o pigmento penetra nesses buraquinhos e causa novamente as alterações de cor”, conclui.

Para não correr o risco de se deparar com o problema é essencial adotar medidas de prevenção. Confira, a seguir, as orientações do especialista:

1. Os cuidados básicos continuam sendo indispensáveis:

Manter uma higiene bucal adequada é essencial, incluindo a escovação dos dentes no mínimo três vezes ao dia e uso de fio dental após as refeições.

2. Evite alimentos e hábitos que possam comprometer os resultados:

Após realização do procedimento, é recomendado não fumar, consumir café, alimentos com corantes, frutas cítricas, vinho e refrigerantes, para prevenir manchas.

3. Realize acompanhamento regular com o dentista:

O dentista vai monitorar a saúde dos dentes para fazer recomendações específicas, para que o cuidado com o sorriso seja efetivo. Além disso, poderá aplicar medidas preventivas, como a limpeza, e dar instruções sobre os melhores produtos e a maneira correta de fazer a higienização, tudo para a manutenção da tonalidade clara dos dentes.

4. Esteja atento aos sinais:

Perda de brilho e pequenas alterações na textura dos dentes são sinais que podem indicar o início do aparecimento das manchas entre outros fatores, requerendo ação preventiva.

5. Mantenha um intervalo adequado entre os clareamentos:

A frequência do clareamento tem influência na propensão a manchas. Recomenda-se um intervalo mínimo de seis meses entre os procedimentos para evitar problemas de pigmentação.

6. Entenda o papel da genética:

A genética pode desempenhar um papel na suscetibilidade a manchas, mas com dentes saudáveis e supervisão profissional, o risco é minimizado. A fluorose, uma deficiência no desenvolvimento dental, pode levar a manchas sob o clareamento e só um profissional será capaz de diagnosticar e intervir de forma segura, considerando cada caso e situação.

  TEM INSTAGRAM? SEGUE A GENTE CLICANDO AQUI

SEGUE TAMBÉM NOSSO TIKTOK AQUI 

Campanha de vacina antirrábica imuniza mais de 500 cães e gatos em Belford Roxo

Nenhum comentário

sexta-feira, maio 17, 2024



A Prefeitura de Belford Roxo, através do Departamento de Controle de Vetores e Zoonoses, promoveu uma campanha de vacinação antirrábica, que imunizou 521 animais, sendo 394 cães e 127 gatos. A ação ocorreu na Associação de Moradores do Jardim Taboca, no Lote XV, e na Praça do Parque Afonso.

O coordenador municipal de endemias, Brayan Lima, afirmou o compromisso com a vacinação nos animais. “A vacinação é muito importante, pois cada um quer o melhor para o seu bicho de estimação”, frisou Brayan. "Mas nem sempre as pessoas sabem sobre o trabalho que fazemos. E então, é muito importante que todos divulguem o que estamos fazendo aqui. Assim poderemos salvar ainda mais animais no nosso município", finalizou o coordenador municipal de endemias.

Ação fundamental

A moradora do bairro Lote XV, Lara Victoria, 19 anos, levou seus dois gatos, Fumaça e Faísca, para tomar a vacina. “Eu acho muito importante porque nem sempre todo mundo tem dinheiro para vacinar os bichinhos. E se ele pegar alguma doença, vai dar bem mais trabalho para saúde pública", frisou. "Se o meu gato tiver contato com outro, que não esteja vacinado, vai espalhar várias doenças por aí, podendo prejudicar outros animais na rua", finalizou Lara.




A também moradora do bairro Lote XV, Eleonora da Rocha, 55, levou sua cadela Nina para ser vacinada. “Eu moro aqui há pouco tempo e estava procurando um local para vaciná-los. Essa ação é fundamental para a imunização dos animais”, afirmou Eleonora. "É um trabalho muito importante, ainda mais para quem tem muitos animais”, arrematou Eleonora.
Don't Miss
© 2015 - 2022 Jornal Destaque Baixada. Todos os direitos reservados
Destaque Baixada Jornal para ler e compartilhar